Texto: O jogo da vida

Antes de ler o texto, recomendo assistir a estes vídeos para entendê-lo...

Parte I
Parte II
Estes vídeos são trechos do documentário Crianças Invisíveis


Texto: O jogo da vida

Por diversas vezes, nos vemos como peças de um tabuleiro, movidas pelo dado das circunstâncias, a vida. Para Bilú e João, a vida de trabalho duro como catadores era levada como a mais pura brincadeira, envolvidos com a ingenuidade de uma criança.

Nas nossas vidas, somos afastados pela mídia da realidade em que vivemos, nosso círculo social se distancia da vida de crianças como eles, por meras particularidades e obstruções...

Quando nos deparamos com crianças nessa situação, somos levados a reconsiderar os valores que têm nossas vidas e as oportunidades que pudemos obter... Porém, por mais que estes pesem na consciência, pensamos na realidade com uma certa distância, estando, talvez, inalcançável...

A grande surpresa que temos é quando vemos que a situação vivida por Bilú e João não está distante nem dos nossos olhos, muito menos das nossas vidas... Isto me leva a reconsiderar mais um ponto, para eles, o mais alto valor que obtém, é dado às custas de um desprezo e um descaso mútuo que parte de cada um, ao se distanciar da situação..

Neste curta-metragem, tratando-se de vida, somente estas duas crianças foram retratadas, mas, quantos Bilús e Joões não vivem mais perto de nós do que imaginamos? Quantas destas crianças não fizeram e fazem parte de nossas vidas nem que sejam por alguns poucos minutos?

Um minuto para quem age é pouco, mas para quem espera, pode ser o tempo suficiente para transformar sua vida... Cumplicidade, amizade, valor... São palavras que definem o que fazem e, acima de tudo quem são essas duas crianças que nos fazem aprender o real significado de certos valores...

Bilú e João, acima de qualquer invisibilidade, nos ensinam, através destes vídeos, que a vida vai além de qualquer circunstância se você puder segui-la sorrindo...

9 comentários:

  1. Lari..meu computer ta muito lento aqui, ainda nao consegui rodar todo o video...mas amanha vou ver com mais calma....gostei muito desse texto e quero comentar aqui....bj

    ResponderExcluir
  2. Adorei! Infelizmente a realidade é circunscrita exatamente como mostra no documentario.
    Um desprezo....a trabalho arduo, o cansaço, e a ganancia do dinheiro, do adulto.
    Mas a inocencia da criança, o sorriso, ainda nao deixa se contaminar pela dura realidade.....
    bom demais....
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Todo trabalho deveria ter o seu valor....
    A jornada existe, o trablaho e o esforço.
    Mas há uma hierarquia, uma competição, um querendo ser sempre melhor.
    Criança....quanta inocencia, que vira seu trabalho como uma simples brincadeira, com alegra e sorriso no rosto.
    Mas que de repente se depara com uma realidade diferente, que tudo aquele não passa de uma rotina sem valarização.
    A criança nesse momento parece inexistente...
    ai que pena....

    ResponderExcluir
  4. A brincadeira se transformando no processo diario de um mercado competitivo

    ResponderExcluir
  5. Lari!
    Adorei os videos!!!
    Como é gostoso ser criança, e ainda não se deixar contaminado por esse mercado de trabalho né? A criança que vê o mundo distante disso tudo.
    Adorei mesmo! Se cada um valorizasse mais o trabalho, tenho certeza que haveria mais gente feliz por esse mundo afora
    bjim pra vc
    e continue postando textos que adoro

    ResponderExcluir
  6. Dé!! Nessa sua reflexão sobre os vídeos e o texto você acabou escrevendo outro tbm... Hahaha... Adorei e concordo super... Obrigada por sempre se fazer presente comentando e visitando o blog...
    Bjss

    ResponderExcluir
  7. Pri... Fico super feliz com os comentários sobre o texto e mais ainda pelas palavras tão sinceras que escreve... Obrigada mais uma vez por fazer do meu blog mais especial... Pode ter certeza de que continuarei postando textos sempre... Bjão...

    ResponderExcluir
  8. Perfeito....retrtou bem a realidade...parabensss
    amei

    ResponderExcluir
  9. Obrigada Maria! Fico muito honrada com os elogios e feliz que tenha gostado! Grande beijo!

    ResponderExcluir