Em cor, em paz...

Ontem, enquanto escrevia esse post, pensei realmente sobre colorir a vida. Não sei se a primeira vez, talvez fosse. Mas eu queria saber as cores que me traduziam, as cores de mim... Então, este é o texto de hoje:

Qual é a cor da tua paz?

Branca. Talvez essa resposta seja óbvia demais, por que tudo o que seja branco já remete à paz, à calma, às serenidades e partes amenas da vida. O branco simboliza a paz. A paz é branca. Ponto.

Nem sempre. E também nem tanto. A minha paz é branca porque é uma página. Pode trazer consigo algumas manchas, sinais de que existe há muito tempo, que já gastou muitas folhas contando histórias e vivendo escritos pintados à tinta mais durável: a existência.

Enquanto existo, escolho colorir minha paz. Minha paz é da cor dos meus olhos brilhando quando estou radiante de felicidade, mas é da cor do abraço daqueles que comemoram comigo. Minha paz é da cor das pegadas dos meus primeiros passos, mas é da cor das lágrimas que me emocionam por conseguir trilhar um caminho bom. Minha paz é da cor do meu caminho. É da cor das flores, da cor dos espinhos, da cor das dores, das inquietudes e dos acalantos.

Minha paz é da cor das palavras. Das palavras que me criam, que me inspiram, que me controlam, que conversam comigo. Minha paz é da cor dos sorrisos. Dos meus, dos outros, e dos nossos juntos. Minha paz é da cor da felicidade, da cor da boa saudade, das cores que eu mais gosto, minha paz tem uma cor alegre.

Minha paz é da cor das minhas experiências. Minha paz é da cor da espera e do sucesso, da cor do medo, mas da cor da esperança. Minha paz é ainda menina, ainda é criança. Minha paz ainda cresce, e assim eternamente o poderá fazer. Minha paz é da cor do incansável, do impossível, é da cor que ninguém ainda conseguiu definir, nem eu.

Por isso, digo que minha paz é furta-cor. Como aqueles cristais que têm suas cores modificadas conforme a luz. Minha paz também é assim. Furta as cores da minha vivência, da minha existência, dá pigmento à minha tinta durável... Minha paz é colorida pelo abrigo que me dão, pelos sonhos em que me auxiliam, pelos degraus que eu preciso conseguir subir. Minha paz não se dá por satisfeita.

Minha paz não é um arco-íris. É de todos tons, não de 7 cores. Minha paz é de momento, é da cor que a vida vê. Minha paz é branca, sim. É branca como aquele branco que aprendemos: de reunir todas as cores...

Larissa Mariano

2 comentários:

  1. Nossa nossa nossa.....cada vez mais belo e profundo.
    E vamos colorir nossa essencia...buscar nossa paz interior...
    Pq o colorido..simboliza alegria...e beleza...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dé, você sempre com elogios tão bonitos, né?
      Isso aí mesmo, essa é a intenção, temos que transformar tudo isso em prática, e enxergar as cores alegres e belas da vida!

      Excluir