Culpados, sorrisos...

A culpa é do incentivo. A culpa é de quem te empurra pra frente, de quem acredita nos teus sonhos, de quem trilha caminhos ao teu lado para ter certeza de que estará ali para ver o sucesso, e pra ajudar se vierem resultados nem tão bons assim. E ajuda. A gente vê que ajuda. A gente mais do que vê, a gente sente.

A gente entende que a culpa é de quem te encoraja a acreditar que agora você já pode dar seus próprios passos, que seus próprios pés já aprenderam a correr, já têm autonomia suficiente para te levar rumo ao que você não conhece, ao que nunca fez. A culpa é de quem diz que no novo a gente vai se encontrar, vai se sentir bem. A culpa é de quem acredita em você.

A culpa é de quem te diz para não desistir. É de quem te faz olhar pra frente e ver que existem mil e uma possibilidades que vão além da que você pensava ser a certa. É esse alguém que vai te mostrar que talvez ela não seja a peça que melhor se encaixe no seu jogo de lógica. A culpa é de quem desafia a lógica só pra te lembrar do que um dia você sonhou, e vai realizar.

A culpa é de quem se junta a você. De quem bota fé em ti e nos teus planos. É uma culpa irremediável, não tem volta. É a culpa do veredito final. A culpa é de quem te dá a mão. De quem diz pra você que vai estar ali, sempre. A culpa maior é a daquele que você tem certeza que está falando a verdade.

A culpa é daquele que sabe que é difícil, mas se esforça. A culpa é do esforço. A culpa é de quem acha progresso no seu dia-a-dia. A culpa é de quem te incentiva, de novo. De quem já te levantou milhares de vezes e vai te por de volta nos eixos da vida. Vai te fazer sonhar. A culpa é de cada sonho que você tiver.

A culpa? Ah, essa sina só existe pra quem valoriza o fato de você ser (e muito) feliz.

Larissa Mariano

Um comentário: