Life goes on.

Quando tudo começar a mudar, não sinta medo. Sinta-se livre do que te retém ao passado, do que possa lhe trazer tristeza e saudades que fizerem mal. Mantenha a calma. Respire fundo. Vá contando, um segundo a cada passo que der. Repare no caminho pelo qual você passa todos os dias, com pressa, correndo. Ele pode ter algo que seja especialmente feito para surpreender você. Nem que seja uma pedra na passagem que você já sabe de cor.
         
Nem que seja uma pétala, por que acho que nem é preciso que seja a flor inteira. Nem que seja o sorriso de alguém que deveria ser o seu, mas você quis se lembrar que hoje não era um dia bom pra por um sorriso no rosto. Ou será que era? Não sabia mais. Ainda não sei. Talvez algum dia eu entenda o que muda tudo isso. Talvez eu já tenha entendido, eu só não quis compreender.
         
Dê espaço. Se dê espaço. Aprenda que a vida é a mesma sensação que você tem de subir nas rampas, de fazer manobras consideradas perigosas. Você tem de controlar as rodas do tempo para que ele não se apresse além do que pode aguentar. Você precisa ter equilíbrio para administrá-lo bem, ou encontrará armadilhas que te farão cair de uma hora pra outra, mesmo que “antes fizesse aquilo tão perfeitamente”.
         
Ninguém tem a perfeição nas mãos, nem nos pés, nem em lugar algum. Ninguém é perfeito. E não aprende a lidar fácil com a novidade. É preciso amparo, proteção, talvez guia. É preciso força, determinação e é preciso coragem, pra quem quiser realmente enfrentar o desconhecido. É preciso calcular algumas voltas da vida, pra que o cansaço não seja o grande vencedor. É preciso aprender, saber, arriscar. Saber arriscar.

         
É ter consciência de que os altos e baixos fazem parte, que é preciso se adaptar aos caminhos adversos, às dificuldades, às desistências tentadoras e aos desafios. Mas é preciso não desistir. É preciso continuar, dar chances novas, compreender de maneira diferente e igual ao mesmo tempo. É preciso ser mil quando só é permitido ser um. É preciso, finalmente, entender que se deve continuar independente do que aconteça. Quedas, machucados e feridas têm cura. O tempo e os bons momentos não tem remédio que faça voltar, por que tudo continua. Nada para se você não parar. Nada é tudo por si só. Nada termina imediatamente. Tudo continua. A vida também.

Larissa Mariano

Nenhum comentário:

Postar um comentário