Caderno Jornalístico

Quando a gente faz uma escolha aos oito anos de idade, a probabilidade de que ela dure é quase mínima. "São apenas crianças", é o que dizem (e exatamente o que até eu pensaria se não tivesse chegado até aqui com esse sonho). Mas foi com oito anos que eu escolhi o que eu queria ser para o resto da vida: jornalista.

Cheguei, estou realizando esse sonho pouco a pouco, a cada dia mais podendo descobrir que foi a melhor decisão que eu já tomei. E, como todo sonho realizado implica em resultados, segue minha segunda reportagem, para a área de comportamento, onde busquei uma tendência na área que eu precisava abordar, que é a região do ABC Paulista

Depois me digam o que acharam, é sempre bom contar com a opinião de vocês!

TENDÊNCIA

Melissa ganha um novo conceito no ABC

Artigo de luxo, o calçado reflete o sonho de infância das meninas da região
Por Larissa Mariano

O sapatinho de cristal de Daniele: A Melissa escolhida para o casamento

"Posso casar de Melissa?" Daniele Higa, que escolheu um modelo digno de princesa para sua cerimônia, diz que deve. Cravejada de cristais Swarovski e desenvolvida por uma renomada designer de joias, a sapatilha de Daniele é uma das mais cobiçadas entre as melisseiras - como se definem as viciadas nestes calçados de plástico - que cada vez mais ditam moda no ABC.

Para Daniele, escolher o sapato baseado num sonho de infância foi essencial. "Muda o comportamento. Parece pensado para mexer com as sensações, completando uma parte dos contos de fada da criança realizados na vida adulta", conta. Ciça Amorim - que é gerente da loja Casa das Três Meninas, referência da marca na região -, acredita que o fato de a mulher que usa o produto poder viver um sonho constantemente e sem restrição de idade, é exatamente o que faz com que ele seja tão popular.

Consultora de imagem, Isabella Fiorentino ressalta que a sensação de lembrança e resgate da infância também reflete no conceito que a consumidora transparece para o público. "Depende do modelo. Se for uma Melissa baixa e colorida, pode passar a impressão de uma menina divertida, "moleca". Já os de salto, assinados por estilistas famosos como Vivienne Westwood, dão à mulher que os usa ares de criatividade e ousadia.

"Ela traduz estilos e personalidades de cada pessoa que usa, de acordo com o modelo que escolhe, além de caber bem com qualquer estilo. Eu, por exemplo, só tenho um par de sapatos que não seja uma Melissa", comenta Daniele, que acredita na versatilidade e capacidade de expressão comportamental do calçado.

Ciça reforça que a imagem conceitual da melisseira é de alguém que está antenada, que segue as tendências da moda e quer mostrar que sabe de tudo aquilo que acontece ao redor dela, no mundo. "Quem usa Melissa usa conceito, busca atitude", conclui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário