confia.

Foto: ONG Reviva

Fé: se não a temos, pode parecer difícil acreditar que caiba tanto significado em tão pequena palavra, que ela carregue consigo tamanho preenchimento.

Mas é verdade dizer que ela só tem tamanha grandeza se a possibilitarmos dentro de nós. E ter fé é acreditar, conceder o poder, permitir.

Ter fé é esperar que o mundo seja bom porque se trabalha em prol do bem que aconteça. Ter fé é depositar o seu próprio coração em algo que acredita e, assim, não apenas esperar, mas agir.

Fé, apesar de não gramaticalmente, é verbo porque expressa uma ação. Uma crença na humanidade, na ajuda, na mão estendida e na vontade de acertar, corrigir e compreender mais que tudo.

Mas nem mesmo ela é infalível. Vinda de nós, é humana em igual proporção. Mantê-la é tarefa que a gente faz voluntariamente, amavelmente — para conosco e para com o outro que precisa de nós.

Fé é uma doação de força. Um reforço para nós mesmos de que não existe "tudo dar certo", da forma exata como a gente pensa, de ser tudo como a gente espera que seja. A fé é a esperança colocada na realidade: pés no chão, trabalho nas mãos a fazer. A gente tem fé no outro, em nós mesmos, na vida. A gente só vive por acreditar — e é acreditando que se faz reviver a força. A força dos bons resultados, do agradecer, do amor.

Se você chega até o amanhã para fazê-lo melhor, é porque acredita que ele pode. O potencial de cada um é o movimento do mundo — e todo o mundo pode abraçar sua causa por fé, esperança e amor.

Larissa Mariano

Texto escrito para a ONG Reviva (http://reviva.org.br) para a coluna Textos de Quinta

Nenhum comentário:

Postar um comentário